Filmes que Vi #7

2 set

Essa semana vi mais filmes do que li. Alguns eu já conhecia a história e tinha visto alguns trechos, mas essa foi a primeira vez que sentei e assisti do começo ao fim, outros, eu nunca tinha ouvido falar e foram uma feliz surpresa.

O Carteiro e o Poeta

carteiro e poeta

Minha tia me contou a história desse filme e quando o vi dando sopa na biblioteca da faculdade, não tive duvidas e peguei para assistir.

‘’O Carteiro e o Poeta’’ conta a historia de Mario, um homem que vê sua vida mudar com a chegada de Pablo Neruda, que, exilado do Chile, vai morar em sua ilha. Mario trabalha como carteiro e é ele o encarregado de levar a correspondência ao poeta do amor.

Mario e Neruda acabam tornando-se amigos e o poeta passa a ensinar ao carteiro a arte da poesia para que ele possa conquistar sua amada.

O filme é tão doce, tão sublime e tão lindo que você chega a suspirar alto algumas vezes. Ele é italiano e acho que por isso, as palavras que Mario e Neruda dizem parecem ser ainda mais lindas.

Uma curiosidade chata é que o ator que fez o Mario morreu um dia depois que as filmagens acabaram. Massimo Troisi tinha um problema no coração que podia ser corrigido com uma cirurgia, mas achou melhor adiá-la porque acreditava muito no filme e achava que era bem mais importante filmar do que cuidar de sua saúde.

(Dois vídeos porque ele não tem trailer, só cenas selecionadas!).

Tão Forte e Tão Perto

tao-forte-e-tao-perto-03

‘’Tão Forte e Tão Perto’’ é o tipo de filme que você tem que assistir com muita atenção aos detalhes por ser cheio de reviravoltas e flashbacks, o que pode confundir os mais desatentos.

O filme conta a história de Oskar, um garoto com dificuldade em relacionamentos interpessoais que só consegue interagir com o mundo com a ajuda de seu pai, que bola caças ao tesouro e historias mirabolantes para que seu filho interaja com as pessoas e perca o medo do mundo.

Um belo dia o pai, interpretado por Tom Hanks, sai para uma reunião no World Trade Center e não volta nunca mais.

Passados alguns meses, Oskar encontra um papel com um nome dentro de um vaso azul e, acreditando que aquilo pode ser um ultimo desafio deixado por ser pai, ele decide ir atrás de todas as pessoas com aquele nome na cidade de Nova York.

Com esse filme você vai chorar, se arrepiar, se angustiar, se preocupar e ficar com o coração doído, mas tudo vai ser tão lindo, tão emocionante, tão perfeito, tão forte e tão perto do nosso dia-a-dia que você vai amar.

Mensagem para Você

youve_got_mail_205

Esse é o filme que vira e mexe passa na televisão e você assiste, mas nunca consegue terminar de ver.

Conta a história de, Kathleen, dona de uma livraria de bairro que se sente ameaçada pela iminente abertura de uma franquia da Fox Books, uma das maiores livrarias do país, bem em frente a sua loja.

Enquanto isso, ainda no começo da internet, Kathleen acaba fazendo amizade com um estranho em um chat, os dois se recusam a saber detalhes pessoais e só se conhecem através de seus apelidos, mas ao mesmo tempo, conhecem mais sobre os sentimentos e pensamentos um do outro (como em ‘’@mor’’) do que ninguém.

O que Kathleen não sabe é que esse desconhecido da internet está bem mais perto dela do que ela poderia imaginar.

A típica comédia romântica que faz você soltar ‘’awns’’ e sorrisos bobos enquanto assiste. Perfeito para aqueles dias em que o mundo parece estar de ponta cabeça e nada, absolutamente nada, dá certo.

Parece que esse filme foi baseado em uma peça, mas acho que daria um excelente livro!

Todos os filmes aqui listados são diferentes um dos outros, sejam pelo tema, ou pela forma como a historia é conduzida, mas uma coisa é certa: todos vão te emocionar, fazer você se apaixonar e suspirar. Além de serem fofos demais (tanto que me deu vontade de assisti-los de novo).

Beijoos, A Garota do Casaco Roxo

Anúncios

Uma resposta to “Filmes que Vi #7”

Trackbacks/Pingbacks

  1. O Carteiro e o Poeta – Antonio Skarmeta | - 2013/11/26

    […] Contei aqui um tempo atrás sobre como tinha amado o filme ‘’ O Carteiro e o Poeta’’, me apaixonei pela linguagem doce e pela figura de Neruda, mesmo sem nunca ter lido muita coisa dele. Por isso, fui até a biblioteca decidida a ler poesia e entender melhor o filme, acabei saindo de lá com o livro que deu origem a toda história. […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: