10 Livros que Deveriam Virar Filme

Ok. Sei que está achando que estou louca por montar uma lista nesse estilo, já que todos sabem que é uma verdade universalmente verdadeira que nenhum livro pode ser adaptado para o cinema e permanecer bom.

Mas, para sustentar a minha teoria de que é sim interessante transformar narrativas literárias em roteiros cinematográficos, lanço dois filmes infanto-juvenis, que podem ser considerados ‘’decentes’’ e só.

‘’Percy Jackson e o Ladrão de Raios’’ e ‘’O Diário da Princesa’’ 1 e 2, foram vistos pela Garota do Casaco Roxo que vos escreve antes que ela pudesse ter acesso aos livros que deram origem aos filmes.

E preciso dizer que gostei MUITO de ambos. Com ‘’O Diário da Princesa’’ minha empolgação foi tanta, que eu afirmo que foi esse filme que me jogou de cabeça nos livros (tanto nos da Santa – Tia Meg Cabot, quanto em todos. Todos mesmo. Até naqueles que eu ainda não li).

‘’Percy Jackson e o Ladrão de Raios’’ me ajudou a perceber outros livros além do que eu estava acostumada a ler e, provavelmente, sem ele, eu não teria descoberto a narrativa gostosa do Rick Ryordan.

Por isso, defendo que livros bons devem sim ser transformados em filme, não como obras que se sustentam sozinhas, mas como um complemento a literatura e uma forma de ajudar a divulgá-la.

10. Livro de Joaquim/ Livro de LeahLaura Malin

Tempo_perdido_O_livro_de_Leah_BAIXAJá escrevi sobre eles aqui no blog, fazem parte da lista dos meus romances favoritos. A história de dois imortais que passam anos a procura um do outro, em lugares históricos e vivendo a maioria dos eventos que marcaram a humanidade é fascinante e de deixar qualquer um de queixo caído. A narrativa da Laura também é muito visual e dá para imaginar direitinho cada cena no lugar que acontece. Acho que seria um pouco difícil mostrar todos os acontecimentos pelos quais Joaquim e Leah passaram, mas só de imaginar, já dá para suspirar.

Capa - Antidoto_alta09. A Pílula do Amor/ AntídotoDrica Pinotti

Seguindo a onda dos últimos chick-lits que saem das paginas e vão para a telinha, ‘’A Pílula do Amor’’ junto com sua continuação ‘’Antídoto’’ daria uma bela comédia romântica, daquelas para ver numa tarde de inverno comendo pipoca e chocolate quente. Com a hipocondríaca Amanda de personagem principal e tendo Nova Iorque como cenário, não tem como não desejar um filme desse livro.

08. A Garota Americana/ Quase Pronta – Meg Cabot

A Garota AmericanaSamantha Madison tem 16 anos e uma vida comum. Até que ela salva o presidente dos EUA de ser assassinado e se torna uma heroína da nação. Não é preciso dizer que sua vida vira de ponta cabeça. Mas as coisas complicam mesmo quando o garoto que faz seu coração acelerar não é exatamente quem ela pensava. Só com a sinopse já dá para imaginar esse livro virando filme, além de ser um dos YAs mais cute-cute que eu já li, ia parar um pouco com essa onde de distopias que invadem a sala dos cinemas.

07. Anna e o Beijo Frances – Stephanie Perkins

Esse aqui tem, basicamente, a mesma motivação acima. Um YA fofo e sem zumbis/vampiros/monstros/mundospararelos/governosparalelos/afins. Ana e o Beijo FrancesConta a historia de Anna, uma menina que é mandada para a França para passar um ano estudando lá. Ela vai ter que se adaptar as novidades e tentar conquistar o seu primeiro beijo francês e o garoto dos seus sonhos. Uh lá lá. Só o fato de ser ambientado na França já daria a esse livro um motivo para ser transformado em filme, mas os diálogos bem construídos e os personagens cativantes o transformariam em um sucesso de bilheteria.

06. Procura-se Um MaridoCarina Rissi

procurase um maridoAlice é uma daquelas patricinhas que conseguem tudo com um simples estalar de dedos. Tem uma rotina de festas e baladas que deixam Lindsay Lohan, Amanda Bynes e Paris Hilton no chinelo. Isso até que seu avô morre e a deixa sozinha no mundo. Em seu testamento, o velhinho diz que para conseguir sua herança de volta, Alice tem que se casar. A história, muuuito resumida (mas dá para ver a resenha clicando no titulo do livro), é basicamente essa. Outra comédia romântica daquelas que te fazem rir e te deixam suspirando por horas depois de ler. O filme seria totalmente hilário.

05. Três Céus – Enderson Rafael

tresceus‘’Três Céus’’ conta a rotina de três pessoas envolvidas no mundo da aviação. Um é comandante e outros dois são pilotos. Suas vidas, que no inicio não parecem relacionadas se cruzam num desfecho emocionante, que chega até a tirar o fôlego. ‘’Três Céus’’ ficaria muito legal no cinema, ia ser um daqueles filmes de ação que você prende a respiração ate o final e depois se lembra da historia sempre que entrar em um avião.

04. Postais do Coração Ella Griffin

capa_postais do coracao.inddA rotina de um escritório de publicidade, um homem lutando para escrever seu livro, uma mulher e dois filhos trocados por esse livro, um passado não resolvido, vários romances, algumas desilusões… Acho que ‘’Postais do Coração’’ tem tanta historia em um só livro, que daria direitinho para virar série. Só não tenho certeza de que iriam conseguir manter os pontos de vista diferentes de cada personagem.

03. Antes que eu Vá – Lauren Oliver.

Before-I-FallSamantha Kingston é uma das garotas mais populares da escola. Todo mundo a ama e ela mal pode esperar para ir ao baile da escola. Até que ela morre. O destino, na tentativa de fazer Samantha perceber no que errou e tudo o que fez de errado em sua vida, faz com que ela refaça, durante 7 dias, seu ultimo dia de vida. Não sei se no cinema conseguiriam dar a aura de mistério e suspense que o livro tem, acho até que ficaria um pouco repetitivo, com cenas voltando e acontecendo de novo e de novo. Mas acho que se fossem fiéis ao livro, iria ser lindo.

Atualizado em 28/04/2017: Podem me chamar de Aman-Diná, se quiserem, mas “Antes que eu Vá” realmente virou um filme!!!! Pelo trailer, já dá para ver que a aura e o suspense do livro foram bem capturados! Mal posso esperar para ver a versão completa dele!

A obra é estrelada pela Zoey Dutch, que foi a protagonista do fime “Academia de Vampiros: O Beijo das Sombras”, também baseado em um Young Adult queridinho do público! O filme estréia no Brasil no dia 18.mai.2017, mas já passou pelos cinemas dos EUA!

Aqui vai o trailer: 

02. Nove Minutos com Blanda – Fenanda França

9-minutos-com-blandaEu adoro histórias de romance para relaxar e talvez seja por isso que minha lista esteja cheia deles. No caso de Blanda, sua sogra e sua mãe começam a planejar seu casamento com seu namorado, que não quer nada com nada, muito menos casar. Enquanto isso, ela segue a procura da sua carreira ideal, já que Direito não é o que quer fazer para sobreviver. Mas as coisas ficam ainda piores quando Blanda não consegue parar de pensar em um cara que ela sequer sabe o nome. As cenas são tão hilárias e tão reais, que não tem como não chorar de rir enquanto lemos. Ia ser uma daquelas comédias românticas que são mais comédia que romance.

1.   Um Amor de Detetive – Sarah Mason

um amor de detetiveOutro chick-lit fofo, só que esse tem um pouco de ação no meio. Holly Colshannon é uma jornalista que tem a função de seguir cada passo do detetive chato James Sabine. Juntos, eles investigam uma serie de roubos a casas e acabam se envolvendo cada vez mais. ‘’Um Amor de Detetive’’foi um dos primeiros chick-lits que eu li, por isso acho estranho que ele ainda não tenha ido parar no cinema, mas deveria. Tem tudo para ser outro filme de fim de tarde, daqueles que você assiste suspirando e dá umas boas gargalhadas junto.

Essa lista teria muito mais itens se dependesse de mim, talvez eu faça uma parte dois qualquer dia. E para vocês, que livros deveriam ser transformados em filme?

Beijoos, A Garota do Casaco Roxo

Livro de Leah – Laura Malin

Tempo_perdido_O_livro_de_Leah_BAIXANome: Livro de Leah

Autora: Laura Malin

Editora: Agir

Páginas: 361

Preço: R$ 31,90 no site da Travessa (nas outras livrarias acredito que ainda estão distribuindo)

Em 2011, num encontro em um clube do livro conheci Laura. Por sorte, no mesmo encontro ganhei ‘’O Livro de Joaquim’’ e não pude não me encantar com as palavras e a história de amor imortal.

Joaquim e Leah se conheceram em Fernando de Noronha, em 1824. Não é preciso dizer, era um amor impossível, ela estava prometida a um marquês português e ele era um mero reparador de barcos. Quando ambos decidem fugir, uma estrela cai do céu,  Leah é levada embora e Joaquim é cruelmente assassinado. O que ambos não sabem é que a estrela cadente os tornou imortais, e assim, Joaquim e Leah passam quase dois séculos procurando um ao outro.

‘’Eu não posso mais ir adiante. Já transpassei todos os limites. Cortei os céus em busca dele e, soprada pelos ventos, continuei. Me transferi de vidas, fui outras e muitas, todas tão iguais quanto diferentes. Matei e não morri. Procurei por ele em outros homens, em outras mulheres. Em outras terras, outras épocas. Com a única certeza de que o céu que nos liga sempre foi o mesmo.

p.9’’

Em 2012 (“Livro de Joaquim’’ foi lançado em 2011, então líamos a história como se estivesse no futuro. Já na continuação, lemos como se estivesse no passado. Fato aleatório, mas interessante), Leah finalmente acredita ter encontrado seu Joaquim e é assim que a história se desenvolve, com a expectativa do reencontro e com as dúvidas que permeiam a relação.

‘’E calei. E ele calou. E foi um dos momentos mais aterrorizantes que eu vivi, pois aquele silêncio expunha nossas reais fraquezas. Não as fragilidades de um casal imortal – as fragilidades de um casal qualquer, humano, que se encontra após uma busca e não sabe se conseguirá ficar junto. Esse tipo de desalento a que todos nós estamos sujeitos.

p. 40’’

A narração de ambos os livros é intercalada entre o passado e o presente e nos dois livros, através das cartas que um escrevia ao outro durante a busca, temos insights do que cada um estava fazendo. É claro que quando lemos a história dos dois sabemos mais a fundo o que os personagens estavam fazendo e qual era o conflito interno pelo qual passavam. O mais interessante, de longe, foi ver onde Leah estava realmente depois de ler em que lugar Joaquim achava que ela se encontrava.

Livro de JoaquimLembro que enquanto lia Joaquim, sentia Leah meio distante e, achava até, que ele a amava mais que ela amava a ele. Quando pude ver a história pelo ponto de vista dela, compreendi-a melhor e tudo se encaixou como um verdadeiro quebra-cabeça.

O livro é muito bem escrito, é impossível não se envolver com a história. Confesso que enrolei para ler porque sabia que assim que eu acabasse a leitura, não haveria mais nada sobre o amor de Joaquim e Leah. Por vezes, reli alguns parágrafos, de tão bem estruturados e montados. Cada palavra estava conectada com outra que a potencializava e deixava-a ainda melhor, o melhor termo para descrevê-lo nesse quesito seria: Poético. Eu saboreei essa leitura.

Outro ponto é o visual. Leah passa por São Francisco na era hippie, Buenos Aires, Nova York durante a luta pelos direitos das mulheres, Rússia durante a época da Revolução Russa, Paris na Belle Époque, Hiroshima na época da bomba atômica e muitas outras cidades. A descrição das cenas é tão perfeita que não é impossível não visualizar os cenários e envolver-se – ainda mais- com a história. Talvez, o fato da autora ser também roteirista de cinema ajuda em sua construção de cenas A história de amor de Leah e Joaquim daria um filmaço!

‘’Todos os meus grandes amores – e, se fosse pensar com calma, todas as paixões meteóricas, os cometas, os astros que não brilharam tanto. As poeiras cósmicas. Por que a verdade é que, vencidas todas as barreiras do amor, há sempre o medo da felicidade e a impossibilidade dos sonhos se concretizarem.

p.40’’

Não é exatamente necessário ler ‘’Livro de Joaquim’’ para ler a história de Leah, mas eu recomendo fortemente que leiam os dois. As historias se encaixam tão perfeitamente que seria um pecado não lê-los. Em um mundo ideal, onde eu tivesse todo o tempo para ler, eu releria Joaquim antes de partir para Leah, mas eu estava curiosa demais para esperar até minhas férias para ler os dois.

‘’Eu não tinha construído nada, todas as perdas haviam me ferido de tal maneira (começando pela perda de Joaquim) que eu jamais conseguira somar. Tudo significava extravio, dano, ruína, subtração. A vida me furtava as pessoas queridas. Os anos me surrupiavam a maturidade e a velhice. Eu tinha a sensação de ser uma arvore muito frondosa, cujos frutos eram sempre arrancados pelos ventos, mas as raízes, fincadas a sete palmos do chão, jamais pereciam.

p.102’’

Recomendo esse livro para todos que gostam de um bom romance, mas sem necessariamente ser meloso ou super dramático. Os amantes de história vão ficar embasbacados com as cenas e com os, acredite em mim, personagens históricos que Leah e Joaquim encontram durante sua trajetória. Aqueles que acreditam em amores impossíveis vão se apaixonar pelo casal. Mas atenção, esse não é livro fantástico (até porque, já deixei claro aqui que não sou muito fã desses), com seres mitológicos e mundos mágicos, é só uma historia de amor que transcende as barreiras do tempo.

‘’E, lá em cima, nos abraçamos em volta daquela rocha com mais de dez milhões de anos. Sim, mais imortal do que nós dois, recheada de sódio, de sílica, de um material vulcânico que outrora explodiu paixão e que agora era apenas sedimento sólido, memória, vida sem vida.

p.42’’

 Ainda estamos em abril, mas “Livro de Leah’’ já é um dos melhores – se não o favorito- do ano.

Beijoos, A Garota do Casaco Roxo

PS: Li, reli, escrevi, apaguei,  joguei no lixo, rabisquei e risquei de novo essa resenha. Mas cheguei a conclusão de que nunca ela vai ficar digna dessa história, acho que só lendo mesmo para saber. Garanto que você não vai se arrepender.