Mentira Perfeita – Carina Rissi

mentira perfeita

Nome: Mentira Perfeita

Autora: Carina Rissi

Editora: Verus

Páginas: 461

Ando com uma ressaca literária intensa desde o começo do ano. Não sinto vontade de ler e o pouco que leio, leio forçada. Tudo mudou essa semana com o lançamento de “Mentira Perfeita” da Carina Rissi.

Eu adoro os livros da Carina e até entrevistei ela pro blog um tempo atrás. Aproveitei que fiquei com muita vontade de ler o livro novo dela (e que era meu aniversário, claro), fui até a livraria e comprei e, olha, que bom que eu fiz isso. Sabe aquele livro tão lindo, tão doce e tão amoroso que te deixa vendo o mundo como se ele fosse um lugar bom e cor de rosa e te inspira a ser uma pessoa melhor e até a ler mais? Esse é um desses livros.

Não me lembro da última vez que fiquei até às três da manhã lendo em um dia de semana, quando eu tinha aula e prova no dia seguinte! Com 40 páginas faltando para eu chegar ao final feliz de Júlia e Marcus, eu me forcei a dormir e depois passei o resto do dia xingando por não ter levado comigo para que eu o terminasse na quantidade ridícula de filas que enfrentei aquele dia.

“Mentira Perfeita” conta a história de Júlia, uma programadora de TI na L&L, empresa que a Alicia, do livro “Procura-se Um Marido” é dona.  Júlia foi criada por sua Tia Berenice, que já está velhinha e com problemas no coração. Só um transplante pode salvá-la.  Quando Tia Berê era mais nova, trabalhava como estilista e costureira de vestidos de noiva e, por isso, seu maior sonho é ver a neta casando em uma de suas criações.

Marcus Cassani é irmão de Max, um dos protagonistas do “Procura-se Um Marido“. Ele sofreu um acidente de moto e ficou paraplégico e tudo o que ele quer é voltar a andar e ser independente de novo. Marcus mora com o irmão e Alicia e eles vão casar em breve, por isso, ele não vê a hora de morar sozinho. Depois de muito negociar com os pais, Marcus consegue autorização para morar sozinho, desde que ele encontre um cuidador ou alguém para morar com ele.

Quando Tia Berenice passa mal e Dênis, o melhor amigo gay de Júlia, conta para a Tia que a menina está namorando com um homem maravilhoso, o boy magya perfeito e Tia Berê magicamente melhora, Júlia sabe que não pode contar a verdade para a velhinha sem fazer mal para ela.

Unindo o útil ao agradável, Marcus e Júlia decidem fingir que estão juntos (para Tia Berê) e que Júlia é uma cuidadora (para os pais de Marcus) e isso, é claro, gera uma série de trapalhadas que vão deixar você completamente apaixonada pelo casal e os personagens.

Não tá escrito o tanto que eu adorei esse livro. Eu queria tanto, mas tanto, ter mais páginas dessa história para ler, mais cenas para rir e mais cenas para chorar, só para poder passar mais um tempinho com esses personagens. A história é linda e a forma como ela é escrita vai fazer você se apaixonar e se envolver de tal forma que você só vai querer saber de Júlia e Marcus.

O livro é um pouco mais sério e maduro que o “Procura-se Um Marido”, mesmo com personagens mais novos, mas isso se justifica pelo histórico dos dois. A Carina também conversou com vários cadeirantes para poder entender um pouco da vida deles e acho que isso ajudou a montar um retrato mais fiel da vida do Marcus (um deles foi a Rebeca Kim, uma amiga minha. Surtei no meio da Saraiva quando eu vi o nome dela nos agradecimentos, já que eu começo a ler os livros por ali. Sempre).

Recomendo demais o livro e não vejo a hora de ter mais amigas que leram, para gente poder discutir a história e relembrar os melhores momentos desse romance que vai fazer você se apaixonar junto com o casal principal.

Beeijos, A Garota do Casaco Roxo

PS: No blog também tem resenha de “No Mundo da Luna” e “Perdida“, outros livros da Carina. As resenhas de “Encontrada” e “Destinado” você verá em breve… (acabei atrasando todos os posts porque precisava compartilhar que amei esse livro!).

Anúncios

8 Livros com Cartas de Amor

Cartas de amor mudaram o rumo da humanidade, viraram ao contrário a vida das pessoas que as receberam ou enviaram e fazem-nos suspirar até hoje. Seja em uma narrativa de não- ficção, ou em um romance Chick-lit de fazer chorar até desidratar, é uma delicia lê-las, mesmo que elas não sejam endereçadas a você.

Para ler a resenha de cada um dos livros, é só clicar no nome deles!

P.S: Eu te Amo – Cecelia Ahern

pseuteamo

‘’P.S: Eu te Amo’’ é provavelmente o livro com cartas de amor mais conhecido de todo mundo, são tão lindas e doces e suaves e saber em que condições elas foram escritas racha seu coração em pedacinhos e te deixa desolada, mas ao mesmo tempo feliz e estimulada.

No livro, acompanhamos a vida de Holly e Gerry, um daqueles casais que não conseguimos imaginar separado, que chegam a dar inveja. Tudo vai bem até que Gerry morre e deixa Holly devastada. E então, ela começa a receber cartas de amor de seu marido, uma para cada mês de sua nova vida sem ele.

Eu não consegui resenhar esse livro aqui, mas garanto que é um dos meus favoritos e que, se algum dia alguém me pedir uma lista de livros obrigatórios para ler, ‘’P.S: Eu te Amo’’ estaria no topo dela.

‘’Querida Holly,

 Eu não tenho muito tempo, não digo literalmente é que você foi comprar sorvete e vai voltar logo! Mas tenho a impressão de que é a última carta porque só resta uma coisa pra dizer, não é para se lembrar sempre de mim ou comprar um abajur, você pode se cuidar sem a minha ajuda, é para dizer como você mexeu comigo, como você me ajudou me amando, você fez de mim um homen, Holly, e por isso eu sou eternamente grato, literalmente. Se pode me prometer alguma coisa, prometa que sempre que se sentir triste ou insegura ou perder completamente a fé vai tentar olhar para si mesma com meus olhos. Obrigado pela honra de ter você como esposa, eu não tenho o que lamentar, tive muita sorte. Você foi a minha vida Holly, mas eu sou apenas um capítulo da sua, haverá mais eu prometo portanto aqui vai o meu grande conselho: não tenha medo de se apaixonar de novo, fique atenta àquele sinal de que não haverá mais nada igual.
P.S. Eu sempre vou te amar.”

Procura-se Um Marido – Carina Rissi

procurase um marido

Se eu não me engano, (eu pesquisei, mas não consegui encontrar) a Carina Rissi disse uma vez que todos os seus livros tinham uma carta por causa da autora de ‘’Orgulho e Preconceito’’, Jane Austen, cujos livros também tem cartas.

Além de cartas de amor e cartas de vô para neta, ‘’Procura-se um Marido’’’também tem anúncios em jornal de pessoa procurando um amor. É fofo demais! Só não coloco tudo aqui porque tenho medo de soltar spoilers!

‘’Alicia, estou espantado que já tenha desistido. Quanto tempo se passou? Três horas?

Um pouco mais, vovô.

Sei que talvez você esteja com raiva, mas acredite: só estou pensando no seu bem. Quero que vá para casa agora, respire fundo e volte amanha. Há uma lutadora em você. Nesses últimos anos, ela sempre apareceu nas horas mais inadequadas, mas não posso acreditar que tenha desistido agora. Volte amanha e me deixe orgulhoso.

Vô Narciso’’

Perdida – Carina Rissi

PERDIDA_1296179035P

Não falei que essa autora adorava cartas de amor? No caso do romance histórico ‘’Perdida’’, ela aparece bem no finalzinho e tem ALTOS SPOILERS! Por isso, achei melhor deixar vocês chupando o dedo e imaginando o quão linda essa carta é!

A Culpa é das Estrelas – John Green

A Culpa é das Estrelas

ACEDE tem cartas maravilhosas, mas que não são necessariamente de amor. Algumas são só mensagens de texto e vão fazer você se emocionar e até mesmo lê-las com uma voz diferente. É lindo e dói tanto quanto ‘’P.S: Eu te Amo’’. Acho que, se bobear, dói bem mais que o livro da Cecelia.

 Mal posso esperar para ver como eles vão traduzir essas mensagens no filme!

‘’Oi, então tá, eu não sei se você vai entender isso, mas não posso beijar você nem nada. Não que você tenha necessariamente tido vontade de fazer isso, mas não posso.

Quando tento olhar para você desse jeito, tudo o que vejo são as coisas pelas quais eu vou fazer você passar. Isso talvez não faça sentido para você.

De qualquer forma, sinto muito.’’

Louca por Você – Fernanda Bélem

louca por voce

Renata reencontrou Vitor, um de seus amores antigos e sentiu por ele tudo o que achou que já havia superado. O único problema é que Vitor tem uma namorada grude e vai fazer um intercambio com a baranga nos EUA durante 3 meses e o único jeito deles conversarem é através de emails e foram esses textos o que eu mais gostei no livro e que o fizeram entrar nessa lista.

Outra coisa que é legal é que o livro é todo contado em primeira pessoa e quando o Vitor escreve alguma coisa para a Renata, temos um vislumbre do que passa pela cabeça um tanto confusa (é impossível não se irritar com ele) do garoto!

‘’Oi linda,

Não posso escrever muito porque está difícil o acesso à internet… principalmente sozinho…

Queria te avisar que cheguei super bem. Pensei muito em você durante a viagem. Quero saber como você está. Fiquei preocupado de te ver tão triste. Agora estou aqui, escondido, só para te dizer que já estou morrendo de saudades.

Não se preocupe com nada. Não vou deixar de pensar em você enquanto eu estiver por aqui, vai passar bem rápido.

Beijo enorme!

Vitor’’

@mor – Daniel Glattauer

@mor

‘’@mor‘‘ é todo escrito em emails e foi uma das melhores leituras do primeiro semestre desse ano. São dois estranhos que acabam mandando um email errado e assim eles iniciam uma amizade, mesmo sabendo pouquíssimo um sobre o outro.

Não vou falar muito se as cartas são de amor mesmo ou de amor de amigo, mas o livro é tão fininho e tão delicioso de ler que você não vai se arrepender em lê-lo inteiro para descobrir!

‘’Na noite seguinte

Assunto: Não foi um bom dia

Querido Leo,

Você teve um bom dia hoje? Eu não tive um bom dia.

Boa tarde, Boa Noite.

Emmi

(A propósito: em que Emmi você esta pensando agora, se estiver pensando em Emmi? Espero que você ainda pense em Emmi!)

Três horas e meia depois

Fw:

Quando penso em Emmi, não penso em nenhuma daquelas três descritas por minha irmã, e sim na quarta, na minha. E mais: sim, é claro que eu ainda penso em Emmi. Por que você não teve um bom dia? O que ele teve de pior?

Boa noite, Bom dia,

Leo’’


A Ultima Carta de Amor – Jojo Moyes

a-ultima-carta-de-amor (1)

O titulo é meio que auto-explicativo, né? Além das cartas de amor entre os personagens, cada capitulo abre com o trecho de alguma carta ou texto que abalou de alguma forma um relacionamento, seja enviado pelo correio ou por mensagem de texto.

Foi um dos melhores livros do ano, vale a pena ler!

‘’A única forma de eu poder suportar isso é estar em um lugar em que eu não a veja nunca, em que eu não seja assombrado pela possibilidade de vê-la com ele. Preciso estar em um lugar onde a pura necessidade impeça que você ocupe cada minuto, cada hora dos meus pensamentos. Aqui isso é impossível.Vou aceitar o trabalho. Estarei na plataforma 4, Paddington, às 19hs, sexta feira à noite, e nada no mundo me faria mais feliz do que você encontrar coragem para ver comigo.

De homem para mulher, por carta’’

Postais do Coração – Ella Griffin

capa_postais do coracao.indd

As cartas de amor desse livro são tão fofas e doces que é impossível não ficar emocionada ao lê-las. Elas só aparecem lá pelo final do livro e eu acho que podem ter altos spoilers, então é melhor não falar muito. Mas são demais. Mesmo.

Se você gostou da lista e gosta de cartas de amor, aqui vai um artigo de um dos blogs da Superinteressante, com trechos de cartas de amor escritas por personagens históricos.

Beeijos, A Garota do Casaco Roxo

10 Livros que Deveriam Virar Filme

Ok. Sei que está achando que estou louca por montar uma lista nesse estilo, já que todos sabem que é uma verdade universalmente verdadeira que nenhum livro pode ser adaptado para o cinema e permanecer bom.

Mas, para sustentar a minha teoria de que é sim interessante transformar narrativas literárias em roteiros cinematográficos, lanço dois filmes infanto-juvenis, que podem ser considerados ‘’decentes’’ e só.

‘’Percy Jackson e o Ladrão de Raios’’ e ‘’O Diário da Princesa’’ 1 e 2, foram vistos pela Garota do Casaco Roxo que vos escreve antes que ela pudesse ter acesso aos livros que deram origem aos filmes.

E preciso dizer que gostei MUITO de ambos. Com ‘’O Diário da Princesa’’ minha empolgação foi tanta, que eu afirmo que foi esse filme que me jogou de cabeça nos livros (tanto nos da Santa – Tia Meg Cabot, quanto em todos. Todos mesmo. Até naqueles que eu ainda não li).

‘’Percy Jackson e o Ladrão de Raios’’ me ajudou a perceber outros livros além do que eu estava acostumada a ler e, provavelmente, sem ele, eu não teria descoberto a narrativa gostosa do Rick Ryordan.

Por isso, defendo que livros bons devem sim ser transformados em filme, não como obras que se sustentam sozinhas, mas como um complemento a literatura e uma forma de ajudar a divulgá-la.

10. Livro de Joaquim/ Livro de LeahLaura Malin

Tempo_perdido_O_livro_de_Leah_BAIXAJá escrevi sobre eles aqui no blog, fazem parte da lista dos meus romances favoritos. A história de dois imortais que passam anos a procura um do outro, em lugares históricos e vivendo a maioria dos eventos que marcaram a humanidade é fascinante e de deixar qualquer um de queixo caído. A narrativa da Laura também é muito visual e dá para imaginar direitinho cada cena no lugar que acontece. Acho que seria um pouco difícil mostrar todos os acontecimentos pelos quais Joaquim e Leah passaram, mas só de imaginar, já dá para suspirar.

Capa - Antidoto_alta09. A Pílula do Amor/ AntídotoDrica Pinotti

Seguindo a onda dos últimos chick-lits que saem das paginas e vão para a telinha, ‘’A Pílula do Amor’’ junto com sua continuação ‘’Antídoto’’ daria uma bela comédia romântica, daquelas para ver numa tarde de inverno comendo pipoca e chocolate quente. Com a hipocondríaca Amanda de personagem principal e tendo Nova Iorque como cenário, não tem como não desejar um filme desse livro.

08. A Garota Americana/ Quase Pronta – Meg Cabot

A Garota AmericanaSamantha Madison tem 16 anos e uma vida comum. Até que ela salva o presidente dos EUA de ser assassinado e se torna uma heroína da nação. Não é preciso dizer que sua vida vira de ponta cabeça. Mas as coisas complicam mesmo quando o garoto que faz seu coração acelerar não é exatamente quem ela pensava. Só com a sinopse já dá para imaginar esse livro virando filme, além de ser um dos YAs mais cute-cute que eu já li, ia parar um pouco com essa onde de distopias que invadem a sala dos cinemas.

07. Anna e o Beijo Frances – Stephanie Perkins

Esse aqui tem, basicamente, a mesma motivação acima. Um YA fofo e sem zumbis/vampiros/monstros/mundospararelos/governosparalelos/afins. Ana e o Beijo FrancesConta a historia de Anna, uma menina que é mandada para a França para passar um ano estudando lá. Ela vai ter que se adaptar as novidades e tentar conquistar o seu primeiro beijo francês e o garoto dos seus sonhos. Uh lá lá. Só o fato de ser ambientado na França já daria a esse livro um motivo para ser transformado em filme, mas os diálogos bem construídos e os personagens cativantes o transformariam em um sucesso de bilheteria.

06. Procura-se Um MaridoCarina Rissi

procurase um maridoAlice é uma daquelas patricinhas que conseguem tudo com um simples estalar de dedos. Tem uma rotina de festas e baladas que deixam Lindsay Lohan, Amanda Bynes e Paris Hilton no chinelo. Isso até que seu avô morre e a deixa sozinha no mundo. Em seu testamento, o velhinho diz que para conseguir sua herança de volta, Alice tem que se casar. A história, muuuito resumida (mas dá para ver a resenha clicando no titulo do livro), é basicamente essa. Outra comédia romântica daquelas que te fazem rir e te deixam suspirando por horas depois de ler. O filme seria totalmente hilário.

05. Três Céus – Enderson Rafael

tresceus‘’Três Céus’’ conta a rotina de três pessoas envolvidas no mundo da aviação. Um é comandante e outros dois são pilotos. Suas vidas, que no inicio não parecem relacionadas se cruzam num desfecho emocionante, que chega até a tirar o fôlego. ‘’Três Céus’’ ficaria muito legal no cinema, ia ser um daqueles filmes de ação que você prende a respiração ate o final e depois se lembra da historia sempre que entrar em um avião.

04. Postais do Coração Ella Griffin

capa_postais do coracao.inddA rotina de um escritório de publicidade, um homem lutando para escrever seu livro, uma mulher e dois filhos trocados por esse livro, um passado não resolvido, vários romances, algumas desilusões… Acho que ‘’Postais do Coração’’ tem tanta historia em um só livro, que daria direitinho para virar série. Só não tenho certeza de que iriam conseguir manter os pontos de vista diferentes de cada personagem.

03. Antes que eu Vá – Lauren Oliver.

Before-I-FallSamantha Kingston é uma das garotas mais populares da escola. Todo mundo a ama e ela mal pode esperar para ir ao baile da escola. Até que ela morre. O destino, na tentativa de fazer Samantha perceber no que errou e tudo o que fez de errado em sua vida, faz com que ela refaça, durante 7 dias, seu ultimo dia de vida. Não sei se no cinema conseguiriam dar a aura de mistério e suspense que o livro tem, acho até que ficaria um pouco repetitivo, com cenas voltando e acontecendo de novo e de novo. Mas acho que se fossem fiéis ao livro, iria ser lindo.

Atualizado em 28/04/2017: Podem me chamar de Aman-Diná, se quiserem, mas “Antes que eu Vá” realmente virou um filme!!!! Pelo trailer, já dá para ver que a aura e o suspense do livro foram bem capturados! Mal posso esperar para ver a versão completa dele!

A obra é estrelada pela Zoey Dutch, que foi a protagonista do fime “Academia de Vampiros: O Beijo das Sombras”, também baseado em um Young Adult queridinho do público! O filme estréia no Brasil no dia 18.mai.2017, mas já passou pelos cinemas dos EUA!

Aqui vai o trailer: 

02. Nove Minutos com Blanda – Fenanda França

9-minutos-com-blandaEu adoro histórias de romance para relaxar e talvez seja por isso que minha lista esteja cheia deles. No caso de Blanda, sua sogra e sua mãe começam a planejar seu casamento com seu namorado, que não quer nada com nada, muito menos casar. Enquanto isso, ela segue a procura da sua carreira ideal, já que Direito não é o que quer fazer para sobreviver. Mas as coisas ficam ainda piores quando Blanda não consegue parar de pensar em um cara que ela sequer sabe o nome. As cenas são tão hilárias e tão reais, que não tem como não chorar de rir enquanto lemos. Ia ser uma daquelas comédias românticas que são mais comédia que romance.

1.   Um Amor de Detetive – Sarah Mason

um amor de detetiveOutro chick-lit fofo, só que esse tem um pouco de ação no meio. Holly Colshannon é uma jornalista que tem a função de seguir cada passo do detetive chato James Sabine. Juntos, eles investigam uma serie de roubos a casas e acabam se envolvendo cada vez mais. ‘’Um Amor de Detetive’’foi um dos primeiros chick-lits que eu li, por isso acho estranho que ele ainda não tenha ido parar no cinema, mas deveria. Tem tudo para ser outro filme de fim de tarde, daqueles que você assiste suspirando e dá umas boas gargalhadas junto.

Essa lista teria muito mais itens se dependesse de mim, talvez eu faça uma parte dois qualquer dia. E para vocês, que livros deveriam ser transformados em filme?

Beijoos, A Garota do Casaco Roxo

Procura-se Um Marido – Carina Rissi

procurase um maridoNome: Procura-se Um Marido

Autora: Carina Rissi

Editora: Verus

Páginas: 472

Preço: R$ 31, 90

Alicia é uma garota – problema, quase uma Paris Hilton brasileira. Neta de um milionário dono de um conglomerado de empresas, ela não gosta muito de trabalhar (para que, né?) e DETESTA acordar cedo.

‘’- Não vou trabalhar. Eu to doente. Uma virose. Muito contagiosa. Altamente contagiosa – miei, querendo desesperadamente voltar ao sonho delicioso em que Ian Somerhalder me perseguia para me encher de mordidas vampirescas. Humm…

p. 14’’

Até que Narciso, seu vô e porto – seguro, única pessoa que ela sente que realmente se importa com ela, morre (preciso dizer que chorei compulsivamente nessa parte?).

Além de ter que lidar com o luto, Alicia vai ter que enfrentar os advogados e o testamento absurdo que seu avo escreveu dizendo que para receber sua herança ela vai ter que ficar casada por um ano.

‘’[…] Quase tão forte quanto meu desejo e fugir dali aos prantos com a constatação de que vô Narciso me considerava uma idiota fracassada incapaz de cuidar de mim mesma.

p. 32’’

Em uma atitude desesperada ela decide alugar um marido e entre os loucos que a procuram está *suspiro* Maximus Cassani, um de seus colegas de trabalho.

‘’não foi isso o que eu quis dizer, mas vamos ser honestos, Max. Em condições normais, eu não casaria com você nem que você fosse o último homem sobre a terra. E você nunca sonharia em ter justamente a mim como sua mulher.

p. 101’’

Carina Rissi novamente (ela também é autora de ‘’Perdida’’ um dos meus queridinhos) nos presenteia com uma história deliciosa e romântica, um exemplo claro de chick – lit brasileiro.

‘’Procura-se Um Marido’’ tem todos os elementos que uma boa história deve ter e, além disso, é extremamente bem escrito. Sabe aquele livro que te prende, que faz você ler páginas e mais páginas sem nem perceber que está lendo e que te envolve de um jeito que você só consegue largar ele quando acaba de ler? Então, esse livro é desse jeito!

‘’Alicia, eu sei que essa não é a vida que você queria e sei que está tendo dificuldades para se adaptar, mas eu estou aqui para te ajudar. Só que para isso você precisa deixar que eu me aproxime. Você tem que confiar em mim, ou não vai dar certo. E eu quero que dê certo! Quero que você consiga recuperar sua herança, quero que seja feliz. Eu prometo não te abandonar. Já te disse isso.

p. 249’’

*pausa para reler o quote e suspirar comigo*

Me deleitei na leitura e gostei tanto dele que quando fui selecionar alguns quotes para colocar nessa resenha, me peguei relendo algumas das minhas partes favoritas! Ainda estamos em abril, mas já posso afirmar que o mais novo romance de Carina Rissi já é um dos destaques do ano.

Recomendo esse livro para todas que gostam de um romance leve e divertido, aqueles que são despretensiosos, mas que passam uma mensagem e te deixam feliz! É IMPOSSÍVEL não se apaixonar por Alicia, Max, Narciso e todos os personagens dessa história!

Beijoos, A Garota do Casaco Roxo

Entrevista com Carina Rissi


 
   Carina Rissi é autora de Perdida, livro pelo qual eu me encantei que já foi resenhado aqui pro blog e de Procura-se um Marido, lançamento deste mês pela editora Verus!

         Mandei algumas perguntinhas para ela, afinal de contas, quem não quer saber mais um pouquinho sobre aquele autor que admira? Essas são as respostas que ela me mandou!

AA- Amanda Ariela(minhas perguntas)

CR – Carina Rissi(as respostas dela)

AA)            Como surgiu a ideia de escrever um livro como ‘’Perdida’’? Você já o tinha inteiro em mente (a ideia de ser uma comedia romântica) ou foi modificando conforme a escrita fluía?

 CR: A ideia do livro surgiu numa noite em que fiquei sem energia elétrica na hora do jantar e não consegui me virar sem o micro-ondas (sou totalmente dependente dele). Levei uns dois anos para começar a escrever Perdida, e durante esse tempo, as cenas iam e vinham na minha cabeça, mas eu não tinha a história toda, era tudo muito solto e nada se conectava. Quando tomei coragem para escrever é que a história foi tomando forma e se parecendo com um chick lit. Eu não pensei em que gênero se enquadraria enquanto escrevia, foi natural. Acho que meu estilo acaba sendo reflexo do que eu gosto de ler.

 AA)    Qual foi a parte mais difícil de escrever a história? E a mais legal?

CR: Caramba, é difícil escolher a mais legal. Eu realmente me diverti muito escrevendo esse livro. Bom, uma das minhas cenas preferidas é quando o Ian conhece a Bic da Sofia. Eu adoro a inocência dele, a forma como ele se apega aos pequenos detalhes. Agora, a mais difícil de escrever foi com certeza a cena em que Sofia visita a casa do Ian e se depara com os quadros dele. Foi tenso, pois eu sentia o desespero dela como se fosse meu.

AA) Alguns dias atrás você publicou um trechinho de algo que chamou de ‘’Perdida 2’’, você pretende mesmo escrever uma continuação, ou foi só uma palinha para matar saudades dos seus bebes literários?

 CR:Não foi, não. Estou trabalhando mesmo na sequência que ainda não tem título, nem data para ficar pronto, por enquanto ficou como Perdida 2 mesmo rsrs. Eu tinha que escrever ou a Sofia não ia me deixar em paz. Meus personagens são muitos reais pra mim, como amigos imaginários. Imagine então sua amiga imaginária, vestida com roupas do século 19 e All Star vermelho, com os cabelos eriçados, que fala sem parar, aparecendo de madrugada para atazanar você para que escreva mais sobre ela. É assim que a Sofia age comigo. 

AA)    Quais são seus outros projetos?

 CR: Além da sequência de Perdida que já está em andamento, estou mega-ansiosa para concluir o No Mundo da Luna, que vai contar a história de uma jornalista recém-formada e atrapalhada que o mais perto que chegou de uma revista foi a recepção e, mais tarde, numa situação bastante curiosa, acaba assumindo a coluna do horóscopo sem saber nado sobre astrologia e a vida dela fica de cabeça pra baixo.

Tenho praticamente pronto um projeto um pouco diferente – meio que um conto de fadas para meninas grandes rsrs – que, por enquanto eu chamo de Luz na Escuridão, e tem de tudo um pouco: uma princesa, um guerreiro irlandês ultra sexy, uma bruxa boa e outra má, uma maldição celta e um amor verdadeiro pra complicar um pouco as coisas.

Outro ainda sem título definido é Mil Acasos, a história da Mel, que tinha a vida que pediu a Deus até que ela morre (bom, ela não morre realmente, está bem viva, mas… é uma longa história rsrs).

 AA)     Vi que em breve teremos o lançamento de ‘’Procura-se um Marido’’ pela editora Verus, conte-nos um pouco sobre a diferença entre escrever ‘’Perdida’’ e ‘’Procura-se um Marido’’(se continuar assim vai virar a autora dos livros que só começam com ‘’P’’!)

 CR: Hahahaha Eu também já pensei nisso. A autora dos Ps e das capas dos tênis rsrs.

Estou muito feliz com o novo livro. Procura-se um Marido, que sai em 19 de outubro, é um trabalho que me deixa super orgulhosa. É um livro rápido, com aquela pitada de magia que eu adoro e romance na medida certa. Ficou do jeitinho que eu queria. Foi extremamente divertido e fácil escrevê-lo, talvez porque dessa vez eu soubesse o que estava fazendo. Eu me apaixonei perdidamente pela Alicia, por isso corri para terminar logo e saber o final da história dela. Espero que os leitores se apaixonem por ela também.

Já Perdida foi mais no susto, sabe? Eu não sabia o que estava fazendo, nem que estava escrevendo um livro. Acho que a pessoa que ficou mais surpresa quando soube que eu tinha escrito um livro foi eu mesma.

 AA)            ‘’Perdida’’ se passa em uma cidade desconhecida e há 200 anos! De onde surgiu a ideia de não localizar a historia geograficamente?

 CR: Eu não nomeei a cidade porque queria que cada leitor imaginasse aquilo que já conhece (o mesmo acontece com Procura-se um Marido e diversos outros projetos em que a localização é irrelevante para a trama). Eu gosto de dar essa liberdade para o leitor criar seu próprio mundo.

 AA)E como foi fazer a pesquisa histórica para escrever o livro? Foi fácil achar as informações que precisava?

 CR: Nossa, foi muito complicado. Eu queria contar a história do ponto de vista da Sofia (um ponto de vista feminino, que é sempre minimalista) e, caramba, foi uma novela conseguir juntar todas as informações que eu precisava. Mas pra ser sincera, pesquisar é uma das minhas partes favoritas.

 AA) Que dicas você dá para os autores iniciantes e para quem ainda nem começou, mas já foi mordido por uma ideia?

 CR: Bom, eu não tenho tanta experiência assim, então vou dizer o que aprendi até agora. Muito BNC (bunda na cadeira) em primeiro lugar. Um bocado de disciplina para ler e reler, editar e reeditar, exaustivamente o trabalho. Não ter medo de como vai ficar seu texto porque citando Nora Roberts, uma das maiores escritoras da atualidade, “só não dá para editar uma página em branco”. Pegar leve nas críticas porque o pior crítico de um autor é ele mesmo.

Depois, muita paciência e determinação quando enviar o texto para as editoras. “Não” é a palavra que você mais vai ouvir, mas não esqueça que basta apenas um solitário “sim” para mudar tudo.

AA)  Fale um pouquinho do seu processo de escrita de modo geral. Você escreve de dia? De noite? Ouvindo música? No silencio total?

CR: Ah, eu escrevo sempre que consigo um tempinho, a qualquer hora do dia ou da noite. A tarde é meu período mais produtivo, mas amo escrever na paz da madrugada (sabe como é… o telefone não toca, ninguém acordado, só eu e meu computador). Uso muita música para escrever, acho uma ótima ferramenta para destravar as ideias e um condutor excelente para transmitir emoção ao texto.

 AA)    O que você sempre quis que te perguntassem em uma entrevista, mas nunca te perguntaram? E qual seria resposta dessa pergunta?

 CR: A pergunta seria: Quando você sentiu que era uma escritora de verdade pela primeira vez?

E a resposta: Foi na Bienal do Livro de SP, no mês passado. Eu estava morrendo de medo de que ninguém fosse aparecer. Mas apareceram centenas de pessoas e foi maravilhoso! Uma das melhores experiências que já vivi. Teve uma fila quilométrica, as pessoas me chamando de Carina Rissi (igual fazem com gente famosa, sabe? Em vez de me chamar de Carina ou Cá como estou acostumada), algumas meninas se emocionaram ao falar comigo e, enquanto eu via os olhinhos brilhando, me dei conta de que eu era sim uma autora. Que muitas daquelas pessoas já tinham lido Perdida e gostaram tanto a ponto de se submeteram a ficar numa fila de mais de duas horas só para falar comigo, tirar uma foto ou pegar um autógrafo. Nem sei se mereço tanto carinho, viu? Foi absurdamente maravilhoso e surreal, uma experiência incrível que eu jamais vou esquecer.

 AA)            Quais são os autores que te inspiram? E quais são seus livros favoritos?

 CR: Jane Austen é minha diva absoluta. Toda vez que leio algo dela quero escrever alguma coisa. Ela faz parecer tão fácil! rsrs

Marian Keyes, Meg Cabot, Sophie Kinsella, Marcello Rubens Paiva são autores que eu admiro e que têm grande influência em minha escrita. Meu livro favorito é Orgulho e Preconceito da Jane, seguido de pertinho por Tem Alguém aí?, da Marian Keyes.

AA)            O que você acha do apoio que os blogs dão a sua escrita? Mesmo com algumas resenhas negativas (que eu até agora não achei nenhuma) você acha válido esse tipo de divulgação e as críticas construtivas?

 CR: É importantíssimo! Foi graças à ajuda dos blogs que eu consegui me destacar, ser aceita e lida. Eu tenho uma dívida eterna de gratidão com esses blogs literários por tudo que fizeram e fazem por mim. Sem esses blogueiros e blogueiras maravilhosos eu não seria nada. =)

Gostaria de agradecer enormemente a Aline, do blog Vício de Menina, sem a ajuda dela, eu jamais teria conseguido fazer essa entrevista e deixar ela tão boa quanto ficou! Agradeço também a Carina Rissi, por ter dedicado sua atenção a essa Garota do Casaco Roxo que vos fala!

 Leia também minhas resenhas para os outros livros da Carina: Encantada, Destinado, No Mundo da Luna e Mentira Perfeita. 

Beijoos, A Garota do Casaco Roxo